Seja poderosa, sedutora e magnética

Home / Home / RELACIONAMENTOS ABUSIVOS: COMO IDENTIFICAR E INIBIR AS MÁS AÇÕES?

O Maior Portal de Cursos Online Para Mulheres do Brasil

RELACIONAMENTOS ABUSIVOS: COMO IDENTIFICAR E INIBIR AS MÁS AÇÕES?

SHARE
, / 1608 0

A violência começa de uma maneira sutil e tende a piorar com o tempo

Vamos falar sério agora, amiga…

Conheço muitas mulheres que sofrem violência e ignoram o fato, em nome da paixão ou da crença de que “ele se excedeu, mas que não vai acontecer novamente”. Amiga, põe uma coisa na tua cabeça: um homem que agride uma mulher, JÁ É um agressor em potencial, e quado digo “em potencial”, falo me referindo à revelação desa natureza no próprio decorrer da relação.

Existem muitos aspectos que promovem para que a mulher continue em um relacionamento abusivo sem perceber… Isso porque, quanto mais o tempo vai passando, mais ela vai se adaptando à situação, com a esperança de que algo pode mudar para melhor… NÃO MUDA, amiga… só piora.

E quando falamos de agressão, não pense você, lindona, que estou me referindo, apenas, à agressão física não… Há a agressão psicológica que é muito mais silenciosa e que condena a mulher da mesma forma, na maioria das vezes, tornando-a altamente dependente, na medida em que ela passa a ser destituída da própria dignidade e começa a se sentir um lixo de pessoa.

É necessário reconhecer os primeiros indícios da violência, tanto física, quanto psicológica, e evitar que ela se potencialize e se perpetue.

Violência psicológica

Começa com o cara te diminuindo perante os amigos ou em discussões cotidianas. Nesse caso, a mulher vai aceitando esse fato e detonando a própria autoestima. Com o tempo, ela vai ficando cada vez mais dependente, tanto emocionalmente, como financeiramente, e é aí que as agressões aumentam, tal como: traições, criticas indiscriminadas, imposições e condições na relação que, certamente, beneficiam a ele em detrimento da mulher.

Nesse caso, devido ao fato de a mulher já estar se sentindo muito mal com ela própria, ela passa a não ver mais saída fora daquela relação, a não se sentir mais capaz de seguir uma vida de maneira independente, ou mesmo, em outros casos, passa a se sentir indesejada e, diante disso, acaba se tornando refém da ideia de que “se abrir mão da relação em que está, certamente não será capaz de se relacionar novamente”.

A situação se agrava quando os sintomas começam a aparecer mais objetivamente… O estado físico da mulher – que envolve a postura, a aparência e o autocuidado – passa a refletir o estado psicológico adoecido. Muitas mulheres engordam, outras emagrecem demais, do mesmo modo, passam a negligenciar a própria saúde e os cuidados com a aparência e tudo isso consequência de uma má percepção sobre si mesma, reflexo do ambiente relacional comprometido que a envolve.

Portanto, amiga, veja como é importante saber reconhecer esse tipo de violência com o fim de freá-la e evitar que se desenvolva na relação. Muitas vezes o próprio homem não consegue perceber a situação, isso porque, a cultura machista, a constância e a própria aceitação da mulher diante dos primeiro indícios, passam a tornar a situação corriqueira e percebida, por ele, como “natural”.

Por fim, a proteção da própria dignidade é intransferível, ou seja, não é o outro que deve protegê-la para você e sim, lindona, É SUA PRÓPRIA RESPONSABILIDADE mantê-la. Você não pode pensar que, diante de uma agressão verbal, de uma ofensa, ou de um “pouco caso”, você deve engolir, no momento, em prol de manter a relação, ou imaginando que ele fez, apenas, “porque estava nervoso no momento”… Não, amiga…

A situação deve ser pontuada no momento em que acontece… Se ele te diminuir na frente de alguém, seja por brincadeira ou por hábito, você deve se impor e expôr a situação na mesma hora em que acontece. No mais, deve fazê-lo passar vergonha mesmo e gerar a consequência negativa diante da ação dele… Isso o fará perceber que, em uma próxima vez, será melhor evitar esse tipo de situação.

O problema é quando a mulher vai deixando passar com o pensamento de que “depois converso com ele”… Amiga: a consequência negativa é o que faz com que o comportamento ruim seja inibido… “Deixar passar”, apenas reforça a ideia de que “você não liga” e isso é o que faz com que determinados comportamentos indesejados se perpetuem e tendam a se potencializar na relação.

Violência física

A violência física está bastante relacionada à violência psicológica, já que se trata de uma consequência da mesma, quando, esta, é negligenciada.

O primeiro estágio é o estágio psicológico que já falei acima somado ao aumento da tensão ou possível ameaça de agressão… Em alguns casos, a violência pode permanecer apenas no psicológico, mas a tendência, caso haja negligência, é que evolua para o segundo estágio que envolve a agressão física.

Seguindo para a agressão física, a mulher passa a sofrer ataques físicos diretos ou sexuais… Na questão sexual, começa a ter de servir ao marido, deliberado pela própria vontade dele, como se fosse “a obrigação dela” servi-lo. Já na questão física, começa quando o homem quer sair de casa e, diante da negativa da mulher, ele a empurra, por exemplo, e segue o caminho dele, preservando o “direito” dele de fazer o que quer e na hora que quer.

Já vi muitas mulheres, diante dessa situação, se culparem, acreditando que devem ser mais flexíveis, aceitar e respeitar a “liberdade” do marido… O que te digo, amiga, é que os acordos devem ser respeitados e cumpridos, por isso a importância em se propor pactos consistentes, logo no início da relação, para que, nos primeiros desacordos, você já esteja preparada e munida de argumentos sólidos.

Não se deve ignorar comportamentos agressivos, de forma alguma, lindona, e isso sim é uma responsabilidade tua… Como já te disse: é tua a responsabilidade de manter a própria dignidade… Se você ver que a coisa está ruim… Caia fora enquanto é tempo e enquanto ainda tem forças para isso… Não caia nessa de “dar tempo” até que a poeira baixe.

Por fim, a terceira fase desse ciclo consiste na “Lua de mel“…

A chamada “Lua de mel” é quando o marido tenta se redimir das agressões físicas e psicológicas. Essa fase é a mais perversa do ciclo, pois é o momento em que o cara demonstra estar arrependido e passa a agradar a mulher por um tempo, reconhecendo-a, acalentando-a e se comportando de maneira afetuosa… É esse o momento em que ela acredita que ele mudará e, mesmo diante dos conselhos daqueles que estão em um ciclo primário de convivência – como amigos ou família -, passa a ignorar e, em certos casos, até mesmo se afastar daqueles que tentam alertá-la, o que contribui para o isolamento da mulher e, consequência disso, a torna mais vulnerável.

Enfim, amiga… esse é um assunto que requer extrema atenção e é parte da responsabilidade da mulher evitar seguir em frente, quando diante de indícios como esses que descrevi. Procure sempre estar aberta a escutar as pessoas que participam do teu relacionamento e não se iniba em pedir ajuda… Os sentimentos e emoções tendem a nos cegar, muitas vezes, e é aí que devemos passar a escutar as pessoas neutras e que confiamos.

E caso ainda não me conheça, lindona, eu, Vanessa de Oliveira, venho estudando o comportamento humano nas relações já há anos e, como autoridade na área de relacionamentos proponho ensinar às minhas alunas o conhecimento capaz de ajudá-las a se autoconhecerem para que possam se desenvolver num amplo espectro da vida pessoal, social, amorosa, profissional e por aí vai…

Certamente, lindona, ao se inteirar mais sobre os ensinamentos que passo através dos meus cursos, você sairá uma mulher verdadeiramente poderosa. São anos e anos, ajudando milhares de mulheres e os depoimentos a seguir falam por si, olha só:

Esses são apenas alguns, entre os milhares, dos depoimentos que recebo dia após dia, miga e não param. Eu acredito que, como uma mulher inteligente, se você chegou até aqui, certamente você está disposta e quer muito ir mais adiante, não é mesmo?

Estamos falando de um aprendizado que envolve o conhecimento sobre as estruturas comportamentais e, para isso, amiga, basta você seguir direitinho as minhas instruções e estar aberta para aprender mais sobre si mesma e sobre os homens, que a coisa simplesmente vai acontecer até mesmo sem que você perceba… Quando viu, já foi… tipo isso…

Amiga… Além de você aprender sobre O Poder da Autoestima Inabalável que tem a ver com quando uma mulher decide realmente ser poderosa e autoconfiante, você também vai aprender sobre técnicas de sedução em “Seja Sedutora Acima de Tudo”, um módulo que você irá aprender como usar seu poder de conquistar e reconquistar os homens, ao final dele, amiga, certamente você estará pronta e saberá tudo sobre as técnicas de sedução e como fazer com que ele se interesse e se apaixone novamente por ti.

Agora, o melhor de tudo, amiga – e acho que isso aqui vai funcionar mais do que qualquer remédio -, está no módulo: Como Ser Uma Deusa… Nesse módulo você irá aprender sobre como ser uma Mulher Bem Resolvida na Cama, aprendendo tudo sobre sexo e, também, sobre qual a importância desta poderosa energia na sua vida!

Você irá aprender como realmente se tornar uma Mulher com Peito de Aço, capaz de colocar novamente a sua vida amorosa e SEXUAL em ordem, lindona… Vamos lá? Ahh… Antes que eu me esqueça, que tal obter acesso também ao Clube da Mulher Magnética? Ao acessar o curso, você terá 30 dias GRÁTIS para falar comigo lindona… Bora lá… Te espero…

Mas corre, pois as vagas do Clube são limitadas.

Te espero, amiga…

Beijos…

Vanessa de Oliveira.