Seja poderosa, sedutora e magnética

  • FOI TRAÍDA? SUPERE E DANE-SE O BABACA!

    SHARE
    , / 1904 0

    Amiga lindaaa… Somente quem já passou por isso (e descobriu) sabe como é, não é mesmo? Principalmente nós mulheres com esse nosso jeito peculiar de sentir e vivenciar as coisas.  Vai me dizer que quando você descobriu foi, ou não, mais ou menos assim:

    Você descobriu a traição, instantaneamente sentiu a adrenalina no corpo, as mãos não eram mais sentidas e houve uma sensação de formigamento em toda a sua espinha dorsal. Daí, a informação que chegou ao seu ouvido (ou que seus olhos viram, o que dói mais) e que foi parar no seu cérebro acabou percorrendo o corpo todo e agora voltou para o cérebro, para dar o grito final dentro da sua cabeça: ELE TE TRAIUUUUUUUUUUUUUUUUUU!!!!!!

    Você começa a ter mil confusões mentais, o cérebro nem raciocina mais e você tenta, mas não consegue pensar com clareza. Sente desespero, raiva, sente-se frágil, mas ao mesmo tempo com força destrutiva de matar o cara (ela, eles e todos que sabiam, quem estava por perto e até quem te contou se chegar a se meter a besta de ficar na sua frente para te impedir).

    Um sentimento horrível e talvez antes não experimentado, ou quem sabe experimentado várias outras vezes, parece fazer questão de te acompanhar a todo e qualquer lugar que você vá, do banheiro aos seus sonhos. Você se sente impotente para tirar de dentro de si esse sentimento, ao mesmo tempo em que tem uma chuva torrencial de mil perguntas recaindo como uma nuvem negra em volta da sua cabeça: É verdade? Quando ele me traiu? Essa foi a primeira vez? Com quem? (Nesse caso você já pode saber a resposta e então irá se perguntar: “Porque com ela?”). Mas a principal pergunta, a que não quer calar e que não irá calar tão cedo é: PORQUE ELE ME TRAIU?”.

    Nesse caso, dois caminhos nos vêm à mente: cair fora ou tentar consertar? Independentemente do caminho que você escolher é necessário que se atente a essas dicas que tenho para dividir contigo, pois veja, ainda que a situação pareça complicada, não cabe ficar remoendo a mágoa, pois lamentar apenas te tomará um tempo precioso da vida quando você poderia se ocupar em resolver suas próprias questões e se ocupar em voltar a ser feliz.

    Claro amiga, em primeiro lugar, é importante dar conta de que a traição tem uma conotação diferente para o homem e para a mulher, ainda que caráter seja caráter e ponto – e isso valha igualmente para ambos. Apenas não se pode negar que a traição possui relevância diferente para o homem e para a mulher… Vamos lá, então, entender um pouquinho, antes de entrarmos no assunto de “como superar uma o panaca… Digo: a traição”:

    • O homem, por ser territorial, compreenderá a mulher como “sua propriedade” e fará de tudo para protegê-la. Isso porque a mulher, para o homem é seu “terreno fértil”, literalmente, como se ele compreendesse que o único que pode “plantar nessa terra” é ele próprio… A mulher é o símbolo de seu status. Ainda que ELA demonstre algum tipo de interesse ou admiração por outro homem, ELE fará de tudo para impedir e manter seu domínio de modo a até mesmo afugentar a ameaça, se necessário. Caso esse “terreno” seja maculado, ou seja, caso sua mulher se envolva com outro, será muito difícil para o cara aceitar a traição.
    • No caso de nós, mulheres, ainda que tenha acontecido uma pulada de cerca por parte dele, há uma propensão maior que o aceitemos de volta, visto que o problema maior para nós é o envolvimento emocional e não especificamente o físico. Parece que, de alguma maneira, nos sentimos piores quando damos conta de que nossos parceiros estão envolvidos emocionalmente com outra e não necessariamente quando ocorre o sexo por si só. Diferente disso, havendo evidência de que ele se apaixonou por outra, aí sim será o fiiiimmm… Sem nem mesmo haver necessidade de chegar aos finalmentes.

    Falei um pouco disso no texto “Porque os homens traem?”, contei um pouco da história – claro que de um modo bem superficial – para que você entenda sobre o porquê de algumas questões serem tão diferentes entre nós e eles de modo que não se trata especificamente da cultura, mas de uma forma mais direta, de COMO essa cultura foi construída.

    Resumindo numa frase simples, amiga:

    O homem finge no amor para conseguir sexo e a mulher finge no sexo para conseguir amor.

    Assim sendo, o sexo por mero prazer não é o que nos abala mais, claro que dói, mas o que nos derruba para valer é sim o ENVOLVIMENTO EMOCIONAL por parte deles, pois isso sim é capaz de mexer com nossa autoestima e provocar nossas vaidades… Mulheres são todas vaidosas. Portanto, amiga, quando no lançamos à recuperação pós-traição, estamos na verdade tentando nos recuperar do fato de termos sido preteridas.

    Estou dizendo tudo isso, linda, para que você compreenda o porquê de algumas mulheres decidirem investir na reconstituição da relação em vez de simplesmente darem no pé. Querer reatar, em muitos casos, será uma necessidade emocional muito mais ligada a descobrir se ainda somos importantes para o outro do que a vontade em permanecer ainda com quem nos traiu. É importante também você perceber que: quanto melhor é sua autoestima e quanto menor é sua necessidade de autoafirmação, mais fácil será se recuperar de uma traição.

    Diante desse fato, para a mulher, é sempre importante definir o motivo da traição dele: se foi por PAIXÃO ou simplesmente por TESÃO mesmo. Não que qualquer coisa seja capaz de justificar a traição, como já disse, mas são coisas completamente diferentes ainda que levem aos mesmos fins: para ele, o prazer e a satisfação e para nós, a dor e a mágoa, pois é fato: o tamanho do desespero e da dor é proporcional ao nosso sentimento de termos sido preteridas.

    Por fim, vamos entender finalmente algumas pontuações que creio serem relevantes para lidar com a traição. Em primeiro, vou citar para você quatro tópicos relacionados sobre superação, no caso se você decidir manter a relação; em seguida, outras quatro maneiras que selecionei como importantes para lidar melhor com seu luto e superar a perda, caso você decida se separar, Ok? Vamos lá:

    1. Enfrente a situação

    Toda a relação é constituída de 50% de cada lado e isso significa que suas ações (ou ausências de ações – negligências) também podem ter colaborado para o mau comportamento do outro. Obviamente que a decisão final de trair sempre será dele o que significa que você deve evitar o processo de autoculpa porque não cabe mais acreditarmos que somos responsáveis pelo ato do outro. Mas é importante fazer uma autoanálise e refletir se quando ele te traiu vocês estavam bem ou se o relacionamento estava com problemas. E também se pergunte se havia algo que você talvez pudesse fazer a fim de que a traição não acontecesse.

    E sabe por que eu estou dizendo isso? Porque se você decidiu continuar com ele e se ambos toparam dar uma nova chance para o relacionamento, você só vai superar o que aconteceu se isso não acontecer novamente. Se dentro de poucos meses a situação se repetir, é bem provável que você entre no circulo vicioso de ser traída e perdoar e desta maneira amiga, não existe superação.

    Portanto, fique atenta para o fato de estarem bem no relacionamento, se não estiverem e se principalmente ele estiver insatisfeito, então é muito provável que tudo aconteça novamente. Quando o cara percebe que pode fazer algo de bom para si próprio e que ninguém ficará sabendo, ainda que esteja errado, acredite: na maioria das vezes ele o fará. Portanto é necessário estar atenta para os sinais que indicam quando a relação vai mal das pernas.

    E se você fez o teste acima amiga, sobre os indicativos de traição e se a sua pontuação foi alta, então pare de cair na falácia de “privacidade” e tudo o mais… Dependendo do grau de envolvimento que construíram é importante você descobrir a verdade para saber o que fazer da sua vida. Tem mulheres que se acovardam e tentam fingir que não está acontecendo, justamente pelo medo do enfrentamento.

    Nesse caso, não é incomum ver mulheres se acovardando temendo serem abandonadas e aceitando tudo, quando, se pararmos para pensar, será, não somente abandonada, mas traída, caso opte por persistir nesse tipo de relação subserviente ao passo que opta por ignorar as evidências. Dar de ombros, amiga, não faz com que o problema desapareça, pelo contrário, ele cresce no silêncio até que você não seja mais capaz de dar conta.

    Portanto, é necessário enfrentar os próprios medos de redescobrir novamente uma traição e isso diz respeito a AGARRAR SEU AMOR PRÓPRIO e cair para cima, ou seja: esteja atenta aos acontecimentos e aos sinais e sintomas de que algo novamente possa estar acontecendo, bem como o que possa estar causando o adoecimento da relação e que muitas vezes é ignorado até que extrapole os limites e seja tarde demais.

    Amiga, o fato é: enquanto você estiver com dúvidas se ele faria novamente ou se está fazendo, significa que realmente não foi capaz de superar. É preciso ter certeza sobre a fidelidade dele e o arrependimento, do mesmo modo que do reconhecimento dele sobre o seu valor… Somente assim para que você consiga dar a volta por cima e seguir em frente.

    Lidando com isso, amiga, naturalmente poderá agir de modo a evitar que isso novamente aconteça, caso esse comportamento por parte dele não seja algo patológico como descrito no texto “Porque os homens traem?”. Estar atenta e consciente (prudência) é a maior evidência de que realmente superou, o que não significa que você deixará lacunas para que, pela simples oportunidade, a traição volte a ocorrer.

    1. Libere a raiva

    Nada de represar sentimentos, amiga, mas veja: isso não significa sair por aí gritando aos quatro ventos sobre o ocorrido… Lembre-se que estamos tratando aqui sobre a possibilidade da reconciliação e caso faça isso, então, quando decidirem reconstruir a relação, terá de lidar com a crítica e julgamento dos outros, assim sendo: terá dois problemas… Portanto, EVITE QUE A SITUAÇÃO VENHA A PÚBLICO.

    Nesse caso, procurar um confidente, até mesmo buscar ajuda profissional é bastante indicado. É bom lembrar que uma pessoa, por mais confidente que pareça, quase sempre terá a própria confidente e quando menos se espera todos ao redor já estão sabendo… Daí fica difícil seguir na relação quando vestimos publicamente o chapéu de corna, não é mesmo? Mais difícil ainda será a recuperação quando, aliada à traição, ainda temos de lidar com a humilhação social.

    Portanto, o mais indicado é, em primeiro, fazer com que o outro dê conta da sua mágoa, raiva (ou o que quer que você sinta), ou mesmo contar com um terapeuta que possa orientá-la para que você seja capaz de por a razão à frente da emoção de modo que não coloque tudo a perder. Isso tudo para que o fato reverbere o mínimo possível diante da circunstância de que, quando tudo for superado, não tenha que lidar com os olhares insinuantes e reprovadores dos outros, pois ao se expor ao olhar crítico das pessoas a sua volta, será mais difícil superar.

    1. Resiliência

    Essa palavra é pequena e poderosa, amiga linda. Sabe o que significa? Significa manter a sua integridade emocional intacta diante das situações mais agressivas. Assim sendo, será que você terá a capacidade de superar essa traição de modo a evitar trazer a dor e a mágoa em qualquer pequena discussão entre você e ele?

    “Perdoar” é superar… Superar, por sua vez, significa aprender com a situação: aprender com a circunstância por mais aversiva que se apresente. Significa você lembrar, mas não deixar mais que a dor e a revolta tomem conta de você por algo que já aconteceu e não pode mais ser mudado. Portanto, não cabe ficar jogando na cara a todo o momento o ocorrido, se não, isso significará que você não foi capaz de superar o fato, o que sugere que teria sido melhor, nesse caso, ter aberto mão da relação para viver finalmente o LUTO da perda.

    A paranoia pode surgir e é necessário dar conta dela. Controlar obsessivamente o cara é sinal de que não superou a situação e causará apenas desconforto e sufocamento em ambos: você por não ter mais vida, se não, uma sobrevida miserável dedicada a controlar os passos do outro ao ponto que, ele, por se sentir preso e vigiado, começará inevitavelmente a enxergá-la como MALUCA.

    Portanto, Amiga… Fique atenta aos sinais, caso não queira por tudo a perder e ainda sair como uma paranoica. Para se tornar uma pessoa resiliente é preciso que você amadureça o seu Q.E. (quociente emocional) e que tente sair do controle da emoção, olhando a situação pelo lado mais racional possível. O que eu te sugiro é que você fale contigo mesma, como se você fosse uma autoridade que te chama para a responsabilidade do pensamento racional, lembrando que se você perdoou, não cabe se vingar; acusá-lo constantemente da sua dor ou “surtar”, pois nada disso realmente melhora a situação. A pessoa resiliente sabe que o tempo é seu melhor amigo.

    LEIA TAMBÉM:

    1. Reconstruir é valorizar

    Aproveite para rever tudo o que fizeram e construíram de bom, pois se o relacionamento de vocês tinha muitos pontos positivos, se vocês foram grandes apoiadores um do outro e se fizeram conquistas juntos, superar será mais fácil.

    Se ele sempre foi bom contigo, mantenha em tua mente muito mais pensamentos voltados a estas lembranças do que os últimos acontecimentos. É mais fácil superar quando vemos motivos para isso, mas se ele não era bom contigo amiga, repense se vale a pena tentar superar e reconstruir algo que na verdade nunca existiu.

    Atente-se: uma vez que você pesou na balança e viu que ele sempre teve mais aspectos positivos do que negativos, então se concentre em retomar aquilo que vocês já tiveram na relação… Será mais fácil superar. Sabe, é comum nas relações mais duradouras, nos garantirmos com o amor. Acreditamos que o outro nos ama e que nada de mal poderá acontecer com a gente… Ledo engano. A traição acontece fruto do desejo incontrolado e nada tem a ver com o amor.

    Quando os caras têm a certeza de que “somos propriedade deles”, simplesmente deixam de nos desejar, de nos cortejar, para desejar e cortejar outras mulheres. Sabe a aquela frase “a grama do vizinho é sempre mais verde que a nossa”? Pois é… É exatamente isso. Portanto, cabe a você se valorizar e trabalhar sua sedução para que o “vizinho” também a deseje e isso dará ao seu homem a sensação de que há qualquer momento, caso não cuide, possa vir a te perder.

    Isso tirará dele a sensação de “território conquistado” de modo que sentirá sempre ameaçado ainda que você esteja certa do seu sentimento por ele, pois o que incomoda o homem é o simples fato de terem outros orbitando “sua mulher”, situação que desperta nele seu espírito competitivo. Mas olha lá, heim, amiga… Isso não significa que deva ficar dando trela para outros homens… Basta ser linda e irresistível que a própria natureza faz seu papel. Sentir-se desejada ajuda e muito a se recuperar de uma traição, aliás, tudo aquilo que te eleva a autoestima só te traz benefícios neste processo.

    Nesse caso, o que ocorrerá é que retomará para si o controle do relacionamento e não se trata de dominar e sim de DOMAR com inteligência a relação, pois quando isso acontece, as coisas tenderão a se manterem vivas e a relação saudável. Portanto, valorize-se a todo o momento de modo para que ele perceba e enxergue sempre a mulher que é e o que pode perder, caso venha a te trair novamente.

    Amamos desejar mais do que amamos o objeto do nosso desejo. (Nietzche)

    Significa, amiga linda, que devemos sempre manter acesa a chama do mistério e do desejo e isso não significa “nos resguardar”, mas buscar sempre nos superarmos para nós mesmas de modo que, naturalmente, também seremos capazes de surpreender o outro… Como uma fonte inesgotável de vida e sedução que é o que representa o ideal feminino.

    Mas o principal, lindona, esta nessa pequena frase a seguir: “Se o outro errou uma vez com você, a culpa foi dele… Se errar novamente, a culpa será sua.”. Portanto, esteja sempre pronta para assumir a responsabilidade da sua escolha, caso venha a se lançar ao desafio da reconciliação, pois estar PREPARADA é proteger a si mesma.

    Agora, se você decidiu se separar, amiga, e precisa superar o mais rápido possível, o que você poderia estar fazendo por você? É sobre isso que iremos tratar agora, vou te falar sobre alguns passos importantes para que você vivencie o desapego (o luto) com mais efetividade e dignidade. Claro que a dor permanecerá por um tempo, mas sabemos que tudo tende a passar, não é mesmo? O lance é não ficarmos alimentando a dor e usar o tempo que temos para seguir adiante e sem olhar para trás (ou para os lados), o que tende a curar mais rápido.

    Mas antes de seguir com as dicas, amiga linda, você já ouviu falar das fases que compõem o luto? Se não, vou dar uma resumida aqui para que entenda o quanto isso é natural no processo de superação e que envolve qualquer pessoa que vivencie uma perda. Isso é tão importante que existem até mesmo estudos científicos voltados especificamente para esse assunto… Trata-se dos estudos sobre o luto e suas devidas fases.

    Você Já deve ter ouvido sobre essa palavra, não é amiga? O luto não trata, necessariamente, da morte de alguém e sim do rompimento do elo do sujeito e seu objeto, nesse caso, estamos falando da perda de um relacionamento. O luto se faz na reconstrução e reorganização psíquica/emocional diante desse acontecimento.

    Na primeira fase vem a NEGAÇÃO. Diante da situação onde ocorre o fim da relação, é natural negarmos os acontecimentos ou trazer para nós o pensamento constante de que “isso não pode estar acontecendo comigo”, por exemplo. Existem casos de pessoas que levam isso tão a sério que continuam a vida como se nada estivesse acontecendo, ou acontecido. Apáticas, seguem com os mesmos comportamentos e rotinas como se ignorassem os fatos.

    Sequencialmente vem a fase da RAIVA. Nessa fase a pessoa se revolta com o mundo ao passo que se sente injustiçada… A pessoa fica chata e atira para todos os lados (ao menos ela aceitou o fato e superou a fase da negação… Menos mal).

    Logo depois… Vem a NEGOCIAÇÃO ou barganha. É o momento em que, mesmo que a pessoa seja realmente a vítima, chega ao ponto de crer e dizer que ELA PRÓPRIA pode ser melhor… (Pode uma coisa dessas?), ou seja, passará a se propor a fazer, ou ser, melhor com o fim de reverter a situação a qualquer custo.

    Superando essa fase, daí vem a DEPRESSÃO… Momento em que finalmente a pessoa dá conta do ocorrido e recorre ao seu mundo interno, isolando-se. Melancolia, tristeza e isolamento, são alguns dos sintomas de quem percorre essa fase.

    Por fim, temos a ACEITAÇÃO (finalmente!!!). Hora em que a pessoa aceita o ocorrido e decide seguir em frente. É importante dar conta de que não há uma sequência exata e a pessoa pode até mesmo retornar para uma fase já vivenciada… O importante, amiga, é saber que esse estudo existe para que possa se localizar com o objetivo de buscar o mais rápido possível a superação.

    Para tanto, vamos às dicas que podem ajuda-la a se sair melhor nesse momento de luto, onde você decide NÃO manter o relacionamento com ele… São elas:

    Indiferença

    O contrário do amor, diferente do que se pensa, não é o ódio e sim a INDIFERENÇA. Portanto, ainda que seja difícil no começo, procure ignorá-lo completamente e isso também vale para as espiadas nas redes sociais. Manter o contato, nesse caso, pode alimentar a dor e a mágoa ao passo que se manterá na posição propensa de possível NEGOCIAÇÃO, do luto… Lembra?

    Atacar o outro dará a segurança a ele de que você está sofrendo e, amiga, vejo muitas mulheres caírem nessa armadilha por acreditarem que estão provocando o ex, quando na verdade só estão dando a oportunidade de que vejam de camarote o quanto você está sofrendo. Largue disso: crie uma cortina de fumaça e evite a qualquer custo se expor. Com o tempo, terá reunido força o suficiente para conseguir seguir em frente e esquecê-lo de vez. Já viu alguém morrer de amor? Você não será a primeira, eu te prometo!

    1. Reserve a si momentos de alegria

    Ainda que seja importante se resguardar e acolher a própria dor, tudo tem seu momento. Ao mesmo tempo, empenhe-se em se proporcionar momentos de alegria e descontração. Quando nos lançamos a estar com pessoas que gostamos e em lugares bacanas, naturalmente elevamos a química em nosso corpo responsável pela sensação de bem estar.

    Isso significa que você PRECISA SIM fazer aquela força e evitar ficar em casa remoendo o passado.

    Escolha a hora e o local para sofrer, mas negue-se a fazer isso por 24hs seguida, ENTENDE? Se possível, busque ajuda profissional. Diferente de represar emoções ou fingir que nada está acontecendo, dividir o tempo para cuidar da própria dor e se lançar a atividades que possam lhe proporcionar um estado mais desejável, fará com que naturalmente retome seu equilíbrio.

    Nessas horas amiga, agradeça ao universo pela oportunidade de aprender com a adversidade; faça uma massagem relaxante; busque por aqueles hobbies que você sempre gostou e que faz tempo que não pratica; retome antigos projetos… Você precisa tirar o foco da sua dor e para combatê-la, é necessário que você foque naquilo o que te faz ser maravilhosa, aquilo o que te faz brilhar… Vá e faça!

    1. Cuide de si

    Uma das coisas que mais ocorre, amiga – já deve ter passado, ou visto alguém passar, por isso -, é a negligência com o autocuidado. Deixar de comer; largar mão do estado físico; vestir-se mal; apatia… São apenas algumas dentre várias situações que apenas colaboram para piorar a recuperação e a superação.

    Diferente disso: faça um esforço, vá à academia, envolva-se com pessoas que te colocam para a frente…  Desafie-se. Isso tudo ajuda a tirar o foco do problema e rapidinho irá se centrar ao ponto de elevar a autoestima… Faça um acordo contigo: quanto maior sua dor, mais linda você vai sair de casa!

    Lembre-se que os outros também podem ajudar a alimentar a sua autoestima, portanto, manter-se isolada apenas fará com que você se sinta cada vez mais como um lixo.

    1. Recompense a si mesma

    Aproveite para por em dia aquelas coisas que você estava adiando ou aproveite para colocar em andamento aquele plano que você abandonou por algum motivo. Tudo o que puder se ocupar e que tenha relação com o AUTODESENVOLVIMENTO, será útil. Quanto mais atenção der para si mesma, mais se dessensibilizará diante da dor proveniente da relação perdida.

    No mais, ações simples como se presentear com algo que goste; um bom restaurante ou aquele banho mais demorado; permitir-se um dia de folga para pegar estrada ou mesmo para fazer absolutamente nada… Tudo isso são reforçadores que ajudarão a se livrar finalmente da dor. É preciso ser forte e colocar a razão na frente, amiga, e isso não significa que seja fácil, mas SIM: necessário, sendo esse o único caminho se não quiser passar um valioso tempo da tua vida se lamentado.

    Amiga Linda, você gostou dessa dica? Então aproveita e inscreva-se no meu Curso Mulher Magnética: 30 Dias Para Transformar Sua Vida! Basta CLICAR AQUI!

    O curso é 100% online, todo em vídeo e você fala diretamente comigo durante 30 dias, podendo me contar sua história e me fazer perguntas. Você vai aprender a transformar-se em uma Mulher Poderosa, Sedutora e que Enlouquece os Homens na Cama e Fora Dela. Esse curso te ensina a ter uma autoestima inabalável, além de te ensinar técnicas de conquista e sexo que fazem os homens ficarem completamente apaixonados por você! INSCREVA-SE AGORA e mude a sua vida amorosa!

    Amiga lindaaaa: VALORIZE-SE, esse simples ato ajudará, e muito, para que se reencontre e se recupere emocionalmente.

    Beijossss!

     

    ASSISTA A AULA GRÁTIS

    DEIXE ELE APAIXONADO POR VOCÊ!

    Preencha os campos com seu nome e e-mail para ter acesso à aula grátis !