Seja poderosa, sedutora e magnética

Home / Seja Poderosa / DEIXE ELE MALUCO FAZENDO ISSO

O Maior Portal de Cursos Online Para Mulheres do Brasil

DEIXE ELE MALUCO FAZENDO ISSO

SHARE
, / 45915 0

Quer aprender sobre uma técnica muito estudada na psicologia e que, de tão efetiva, vem sendo usada no mercado profissional  para que os colaboradores produzam mais e mais, de modo a gerar mais lucro para a empresa? Tá… você não têm uma empresa, mas, imagina, amiga, você usar essa mesma técnica na tua relação com o fim deixar o cara maluco (e muito mais produtivo)…

O nome é um pouco chato, mas você vai ver o quanto o conceito é simples, Lindona…. Trata-se do (TCHANAN) Reforçamento Intermitente de Razão Variável (eita nóis!). Essa técnica, tem a ver, amiga, com o fato de que:

o comportamento é reforçado após um número imprevisível de respostas (manifestação).

CASO 1 – Vamos pensar numa empresa: o cara está lá, trabalhando, e recebe, todo o fim do mês, aquele mesmo salário, independentemente do que ele produza  – talvez um mês seja capaz de produzir mais e outro menos -, não importa… O que ele tem certeza é que receberá aquela quantia de dinheiro e pronto. CASO 2 – Vamos pegar esses caras que recebem, apenas, por aquilo o que são capazes de produzir… Vamos tomar, como exemplo, um corretor de imóveis (vendedor).

Vamos comparar a diferença da produtividade de ambos: quem você acha que trabalhará mais, amiga… O cara do primeiro exemplo (CLT) ou o vendedor (Autônomo)? Óbvio que é o segundo, não é? Isso porque, por ele não saber, exatamente, quando será capaz de fechar um negócio, vai aproveitar todos os momentos, sábado, domingo, feriado… Já percebeu que não existe dia de folga para esses caras?

Acontece que a mente do cara fica lá, trabalhando e trabalhando… Pensando que há qualquer momento, há qualquer hora, pode ser o tempo de fazer AQUELA venda. É como aqueles jogadores de maquininha “caça níqueis” que jogam além da conta imaginando que a BOLADA pode estar na próxima moeda que colocar.

A mente é terrível quando entra nesse processo, pois acaba ficando viciada. Aprende que o sofrimento, ainda que seja por um longo período, pode ser compensada (há qualquer momento) por um instante de satisfação que trará alívio imediato.

Pois bem… Vamos passar isso par os relacionamentos…

Estamos muito acostumadas a, quando estamos apaixonadas – principalmente no início de uma relação -, a nos “dar de bandeja” para o cara. O cara nem precisa ligar para ti, pois lá estará você ligando para ele; o cara te manda uma mensagem e a tua resposta é imediata; o cara faz um agrado e lá está você, novamente, recompensando-o como se você não fosse merecedora daquilo…

Esses exemplos, amiga,  vão bem ao encontro do “caso 1” em que descrevi… O cara sabe que, fazendo ou não, você estará lá, à disposição dele como recompensa (tal como um salário no fim do mês).

Percebe como essas situações se assemelham? Para que o cara dará o melhor dele se a “recompensa” virá de qualquer jeito? Ao contrário: conforme ele for percebendo que a recompensa vem, ele vai fazendo cada vez menos… Essa é a lei do menor esforço.

Ele vai deixando de fazer uma coisinha aqui, um agradinho ali… Você, por outro lado, vai se desesperando… Fazendo de tudo por qualquer migalha que possa vir dele.

São excessos como esses que desequilibram a balança do relacionamento, amiga. É importante que você perceba quando suas ações (os excessos) acabam beneficiando ele sem contrapartida. Você tem que parar de ser besta e esperar que isso é o que fará com que ele te dê algo…

Pensa comigo lindona: se você já está fazendo tudo isso e não está conseguindo nada em troca, acha mesmo que fazer mais é a solução? Não, não e não… Você tem é que se concentrar na “balança” e ver o quanto você está perdendo com isso tudo.

De outro modo, pense na possibilidade de, em alguma medida, você, simplesmente deixar de mandar mensagens; passar um dia inteiro sem falar com ele, ou, dizer que está afim de fazer outra coisa (particular), quando ele te chamar para sair, por exemplo.

Daí, de repente, quando ele menos espera, você diz a ele que fará algo e que gostaria que ele estivesse junto ou simplesmente manda uma mensagem carinhosa, imprevista e sem deixar clara uma necessidade de resposta…

Veja só, lindona, que nesse segundo exemplo, você estará agindo como no “caso 2” que descrevi: o REFORÇO que você está dando a ele, vem aleatoriamente, não, necessariamente, relacionado ao que ele faz para ti (mensagem, telefonema, convite).

Esse modo de você agir, amiga, esteja certa: vai deixá-lo “P” da vida, já que gerará uma confusão na cabeça dele ao ponto em que ele, como no caso do vendedor, acabará “produzindo” MAIS pelo desespero de que há qualquer momento (não determinado) ele poderá tirar a sorte grande de ter a tua atenção (como no caso do vendedor: de “fechar AQUELE negócio”).

Isso é óbvio… Ninguém quer perder o controle da situação. Fazer o cara perder a rédea da situação, gerará nele uma vontade tremenda de retomar o controle. Todos gostam de estar no controle, simplesmente, porque a imprevisibilidade gera muita ansiedade e perda de energia mental.

Por isso que as pessoas adoram uma rotina e é uma necessidade humana fazer com que as coisas entrem na rotina. É como colocar um trem de volta nos trilhos…

Pensa, amiga, que você acaba de começar um projeto novo… Legal, não é? Agora pensa que você está começando dez projetos novos… Você dará conta de tudo isso de uma vez? Pois é. Manter as coisas em seus devidos lugares e sob controle é uma necessidade, pois somente a estabilidade é capaz de fazer com que se seja capaz de manter o foco em outras coisas que exijam mais atenção, como o trabalho profissional, por exemplo.

O relacionamento, por mais que seja capaz de gerar certa turbulência no começo, naturalmente, pode ver, amiga: ambos farão de tudo para que a relação entre na rotina (sair tais dias, ligar com certa frequência etc.). No fim, esteja certa de que se ele estiver muito tranquilo, será VOCÊ quem estará fora do teu eixo…

Aprenda a jogar o jogo, amiga, e o lugar de “vítima” será nada mais do que uma cadeira vazia a ser ocupada… E se alguém de vocês tiver que ocupá-la… Então, que seja ele, vá por mim. Usando essa técnica que te passei aqui, não tem como dar errado, a não ser que ele realmente não goste de ti… Ao contrário disso:

Em algum momento, Lindona, ele ficará bem bravo e poderá até dizer que você é maluca ou que “você não sabe o que quer”… RESISTA, pois esse é um bom indício de que ele está irritado, pois se dá conta de que perdeu, completamente, o controle da situação… Por outro lado, inconscientemente, ele fará fazendo todo o possível para trazer novamente esse CONTROLE de volta para ele.

E se você quiser saber mais sobre como CONTROLAR os homens através de técnicas infalíveis (testadas e aprovadas por mim), amiga,  CLIQUE AQUI e pare de ficar perdendo teu tempo achando que um relacionamento é construído, simplesmente, com base nos sentimentos que se têm um pelo outro. 

Sim… sentimento é a alma desse negócio, mas não é tudo. É como ter um monte de gente trabalhando em uma empreitada sem um líder ou sem um gestor que os direcionem e os instruam ao cumprimento de metas e objetivos relacionados ao propósito da empresa…